10 personalidades históricas que apareceram em Doctor Who

Possuir uma TARDIS significa poder viajar para qualquer lugar em qualquer época e ter a oportunidade de compartilhar bons momentos com pessoas famosas. E isso pode resultar em empréstimo de celular para o Elvis, intimidade com Sinatra e até casamento com a Rainha da Inglaterra.

Listamos dez grandes figuras históricas que a Doutora conheceu ao longo de sua vida:

Marco Polo

Apareceu em: Marco Polo (1964)

Marco Polo foi um explorador que saiu de Veneza no século 13 para conhecer o mundo. Ele descobriu a Ásia Central quando encontrou outro viajante – o Doutor! Enquanto ele estava tendo problemas com a Tardis (danificada na época), o Doutor, sua neta Susan, e seus amigos Ian e Barbara não tiveram escolha a não ser se juntar a Polo em sua jornada épica. Eles estavam a caminho do palácio imperial do poderoso Kublai Khan em Pequim, onde Polo planejava presentear seu chefe com a TARDIS para comprar sua liberdade. Quando eles chegaram lá, o Doutor perdeu sua nave para o Imperador em um jogo de gamão. Por sorte, o Imperador perdoou Polo e o deixou seguir viagem.

Marco Polo (Mark Eden) e o Primeiro Doutor (William Hartnell) na história perdida de Doctor, Marco Polo (1964).

Agatha Christie

Apareceu em: The Unicorn and the Wasp (2008)

A brilhante autora e conhecida como rainha do crime, desapareceu por onze dias em 1926 e ninguém sabia para onde ela tinha ido – até que o Doutor e sua parceira Donna Noble esbarraram com ela exatamente no dia de seu desaparecimento! Naquela época, as pessoas acharam que ela tivesse se escondido após descobrir uma traição do marido. Mas o Doutor descobriu que na verdade a mente dela estava conectada a uma vespa alienígena, e que isso a estressava tanto que ela desmaiou e perdeu a memória. Obviamente!

Agatha Christie (Fenella Woolgar) em Unicorn and the Wasp (2008).

William Shakespeare

Apareceu em: The Shakespeare Code (2007)

Quando Shakespeare começou a escrever a continuação de sua peça, Love’s Labour’s Lost, em 1599, ele não fazia ideia que na verdade estava sob influência de maldosas bruxas do espaço, as Carrionites. As palavras que ele escreveu eram na realidade uma fórmula matemática que poderia libertar suas irmãs bruxas de uma prisão e causar o caos. Elas foram interrompidas pelo Doutor e Martha Jones, mas todas as cópias de Love’s Labour’s Won acabaram sendo sugadas para a dimensão Carrionite, e nunca mais foram vistas. Provavelmente foi melhor assim.

William Shakespeare (Dean Lennox Kelly) em The Shakespeare Code (2007).

Rainha Elizabeth I

Apareceu em: The Shakespeare Code (2007), The Day of the Doctor (2013)

Assim que o Doutor resolveu os problemas de Shakespeare, a própria rainha Elizabeth invadiu o Globe Theatre, exigindo que a cabeça do Doutor fosse cortada! E quem pode culpá-la – o Doutor, aquele velho patife, casou-se com ela em 1562 e depois voou para resolver a Guerra do Tempo. Foi um dia bastante intenso, e ele acabou se esquecendo de voltar para ela. Que grosseiro!

Como um bônus, o Doutor viu William Shakespeare e a Rainha Elizabeth I no Time-Space Visualiser, onde ela estava dando notas ao dramaturgo (The Chase 1965).

Queen Elizabeth I (Joanna Page) em The Day of the Doctor (2013).

Vincent Van Gogh

Apareceu em: Vincent and the Doctor (2010), The Pandorica Opens (2010)

O Doutor e Amy Pond ficaram preocupados quando entraram no Musée d’Orsay em Paris para admirar algumas das obras de arte de Van Gogh – havia um rosto maligno que não deveria estar ali em uma das obras. Eles foram para 1890, quando Vincent pintou o quadro, para investigar, e encontraram o grande artista em apuros – sem dinheiro e lutando para lidar com a vida. Depois de enganar um Krafayis furioso, o Doutor quebrou todas as regras e levou Vincent para o futuro, para mostrar a ele o quanto seu trabalho significava para o mundo.

Vincent Van Gogh (Tony Curran) em Vincent and the Doctor (2010).

Rainha Vitória

Apareceu em: Tooth and Claw (2006)

A rainha Vitória pensava que faria uma parada tranquila na Casa Torchwood em 1879. Ela não poderia esperar que um lobisomem alienígena estivesse esperando lá, na esperança de dar-lhe uma boa mordida, agarrar o trono e libertar o Império do Lobo. Felizmente para ela, o Doutor e Rose Tyler também estavam na área, e despacharam a besta. Apesar disso, eles não receberam muitos agradecimentos por seus esforços – a velha rainha rabugenta os baniu da Terra e listou o Doutor como um inimigo da Coroa. Encantador! Um retrato da Rainha Vitória encontrou seu caminho para o planeta vermelho em The Empress of Mars (2017).

Queen Victoria (Pauline Collins) em Tooth and Claw (2006).

Charles Dickens

Apareceu em: The Unquiet Dead (2005), The Wedding of River Song (2011)

Dickens foi outro escritor popular que se envolveu com as explorações alienígenas do Doutor. Ele estava em Cardiff, em 1869, para fazer uma leitura de A Christmas Carol, quando alguns gélidos Gelth invadiram o teatro. Os Gelth haviam perdido suas formas físicas na Guerra do Tempo e estavam flutuando procurando corpos para habitar. Dickens ficou fascinado pelas coisas surpreendentes que tinha visto e prometeu trabalhar o Gelth em seu próximo romance, mas ele morreu antes que pudesse terminá-lo.

Charles Dickens (Simon Callow) em The Unquiet Dead (2005).

Madame de Pompadour

Apareceu em: The Girl in the Fireplace (2006)

Preso no século 18 depois de acabar no lado errado de uma janela de tempo disfarçada de lareira, o Doutor formou uma relação próxima com Reinette – também conhecida como Madame de Pompadour, membro da corte francesa e amante de Luís XV. O Doutor conheceu Reinette em diferentes pontos de sua vida, passando repetidamente pelas janelas do tempo, e logo ficou encantado com sua natureza brilhante e espirituosa. Ela foi convidada para se juntar a ele na TARDIS, mas na última vez que ele passou pela janela, era tarde demais – Reinette tinha morrido, deixando o Doutor devastado.

Madame de Pompadour (Sophia Myles) em The Girl in the Fireplace (2006).

Winston Churchill

Apareceu em: The Beast Below (2010), Victory of the Daleks (2010), The Pandorica Opens (2010) e The Wedding of River Song (2011)

O lendário Primeiro Ministro britânico do período da Segunda Guerra Mundial tinha algo à sua disposição que a maioria das pessoas não conhece – uma linha direta para a TARDIS! Ele usou isso para convocar o Doutor para 1941, quando a guerra explodiu em todo o mundo. Churchill tinha uma nova arma que um de seus cientistas supostamente havia criado e queria o conselho do Doutor sobre usá-la ou não. Ainda bem que ele perguntou porque seus Ironsides eram, na verdade, Daleks de cor cáqui, e seus verdadeiros objetivos eram destruir Londres!

Winston Churchill (Ian McNeice) em Victory of the Daleks (2010).

Rosa Parks

Apareceu em: Rosa (2018)

Quando a Doutora e seu grupo viajam para o passado, é fundamental que não alterem os acontecimentos históricos. Ao chegar a Montgomery, Alabama, em 1955, eles conhecem Rosa Parks, logo antes dela, por meio de seu protesto em um ônibus segregado, dar o pontapé inicial no Movimento dos Direitos Civis e mudar o mundo para sempre. A decisão de não se envolver foi repensada quando Krasko, um assassino racista vindo de um future distante, viaja ao passado para impedir que o protesto de Rosa, e todas as coisas boas que decorreram dele, nunca acontecessem.

No final, eles asseguram que Rosa esteja no lugar certo e na hora certa para entrar na história. A Doutora, Graham e Yaz ficam arrasados ao presenciarem as pessoas no ônibus forçarem Rosa a se levantar, mas eles sabiam que seria necessário que isso acontecesse.

Rosa Parks (Vinette Robinson) em Rosa (2018).

 

Fonte: doctorwho.tv

Nos acompanhe e curta nosso conteúdo!

Ambientalista por formação, tradutora nas horas vagas, whovian carioca e viciada em livros, filmes e séries. Fã de ficção científica, especialmente quando envolve viagem no tempo.

Este post tem 2 comentários

  1. Pra mim, “The Girl in the Fireplace” e “Rosa” foram os episódios mais emocionantes com personagens históricos. “Rosa” sem dúvidas fez meus olhos suarem, e “The Girl in the Fireplace” me deixou de coração partido com a perda do Doutor. Mas “Rosa” sem dúvidas tem maior impacto social.

  2. The Girl in the Fireplace foi o primeiro episódio de DW que me fez chorar, é um dos meus favoritos até hoje.

Deixe uma resposta

Fechar Menu